Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2014

HISTÓRIAS DO GRUPO TERRA DIFERENTES PALCOS

NONA PARTE
FESTIVAL DE CINEMA DE PENEDO

Contratados pela EMATUR, empresa privada, terceirizada pelo Governo o Estado para produzir o Festival de Cinema de Penedo, o Grupo Terra em data pré-agendada foi contratado para fazer o show de encerramento do referido Festival.
Estavam participando neste ano artista renomados, entre eles, os alagoanos: Jofre Soares, Renée de Vielmont e José Wilker. No dia e hora acordado, estava o GRUPO TERRA no Palco do Cine São Francisco, iniciando o show de encerramento.
O repertório foi preparado especialmente para o evento; até determinado momento sentíamos ser do agrado de todos, conforme a quantidade de palmas que ouvíamos. Após a sétima música, a iluminação era quase apagada e iniciava-se a percussão reproduzindo o som de uma onda morrendo na areia do mar; a seguir, o violão com a introdução e o início da música.

Silêncio total, à música da vez – PREÇE, o primeiro verso:
Chico Elpídio e Teógenes Rocha

“Manhã já vem chegando
O sol se espreguiçando
O d…

HISTÓRIAS DO GRUPO TERRA - OITAVA PARTE

OS ILUSTRES COMPOSITORES

Um pequeno número de compositores cuidadosamente escolhidos compunha para o Grupo Terra:  Paulo Renault Braga Villas Boas, Marcondes Costa, Laérson Luiz, Marcus Antônio (Vagareza) Edson Bezerra, César Rodrigues e Eliezer Setton. Tive a oportunidade de fazer parcerias com quase todos, a exceção foi Marcus Vagareza. Com Marcondes Costa, um grande amigo, tinha uma visão peculiar pelo nordeste e devido a essa paixão, sempre trazia temas cuidadosamente produzidos para serem musicados: Meu Nordeste, Os grandes do Baião, Morada Sertaneja, etc. Edson Bezerra, meu parceiro irmão, com quem tive a oportunidade de compor não só para o Grupo Terra, entretanto, foram inesquecíveis nossas composições: Mundau, Canto do Chão, Limites, Luana e outras; Paulo Renault, pra mim, inesquecível, grande amigo de uma inteligência rara, com ele compus: E agora cante cantador, Maia Fumaça, Evolução, etc.
Com César Rodrigues, apenas Canto do Chão, infelizmente.

Eliezer Setton, foi convida…

HISTÓRIAS DO GRUPO TERRA - SÉTIMA PARTE

DIFERENTES PALCOS


O cenário artístico cultural alagoano da época, refletia a conjuntura artístico-cultural da cidade: falta de recursos financeiros e espaços, e, somando-se a isso, a também tradicional falta de um público consumidor. Nesse contexto, fazer música era algo extremamente difícil. A produção cultural do Terra, ficava por conta dos próprios componentes: Chico Elpídio, Edson Bezerra, Paulo Renault e posteriormente, Eliezer Setton, compunham, realizavam contatos com a imprensa, alugavam equipamentos de som, transporte, cada um com sua responsabilidade, e mais, ao final de cada show, os próprios músicos desarmavam e desmontavam e transportavam todo o equipamento.
Palavras de Edson Bezerra: “Ah, hoje está uma maravilha. O pessoal tem uma produção encarregada com o aluguel de som, de realizar contatos com a imprensa, arrumar patrocinadores e até mesmo serviço de palco.”
Em outro momento:
“Tinha vez que a gente não tinha nem vontade de comemorar uma bela apresentação. Quando acaba…