sexta-feira, 4 de julho de 2014

FRAGMENTOS DA MEMÓRIA DE UM TEMPO -

 GRUPO TERRA
 OS FESTIVAIS DE MÚSICA - Quinta Parte

4. IV Festival de Universitário de Música (DCE – UFAL)

Neste festival, o GrupoTerra defendeu três músicas:
Poder é Querer - Chico Elpídio e Eliezer Setton;
Vielas - Laérson Luís e Chico Elpídio;
Paga Ladrão - Eliezer Setton.

A vencedora deste festival foi a canção “América, uma Canção de Irmãos”, de Edson Bezerra e César Rodrigues;
O segundo lugar, empatados: Pega Ladrão de Eliezer Setton e De Pedra e Pomar de Maria das Graças Monteiro Lins Barbosa (GAL) e Emídio Magalhães;
O terceiro lugar, Poder é Querer, de Chico Elpídio e Eliezer Setton.
A imprensa divulgava e valorizava os Festivais.

 Em 1993, com o surgimento do Canta Nordeste, a música Poder é Querer, foi defendida por Chico Elpídio sendo classificada em segundo lugar, o que possibilitou disputar a finalíssima do festival em Recife representando Alagoas.



Poder é querer

Sem desfazer do que me dizem os ditos memoráveis
De que me vem em mente a mesa posta a dois
Do que me leva a crer no agora sem depois
Sem duvidar do sentimento alheio a vontade
Vontade é grande de sentir e realiza
Milhões de coisas que ficaram por fazer
Edson Bezerra e César Rodrigues em América, Uma Canção de irmãos.
Em segundo plano Paulo Poeta.
Espaço e tempo eu vi passar
Sem contestar sem reagi
De cara em frente ao dedo em riste
Vencido sem lutar sem força sem poder
Agora é tempo de gritar
Agora é tempo de vencer, agora é a vez de decidir
O agora é agora
E o amanhã não tem o que temer
Se morre em pé a vela acesa
Porque é que devo eu me arrastar para viver
Sim vou mudar
De pensamento ideia e vontade
Vou encarar de frente a realidade
Recuperar o tempo todo que eu perdi
Fazer valer de uma vez por todas a verdade
Pra ver se existe um direito de igualdade
Que faça o homem igual ao homem do poder

5. Canta Nordeste

Em 1994, Grupo Terra participa pela primeira vez do Canta Nordeste, festival de música patrocinado pela Rede Globo, aberto a compositores nordestinos.
 A música Serra Pau, composta por Chico Elpídio e Eliezer Setton, sagrou-se campeã da fase alagoana, ganhando o direito de participar da segunda fase em Fortaleza, sendo também classificada para a final em Recife. 
Desse Festival, a Rede Globo lançou o CD CANTA NORDESTE, com as doze músicas classificadas, Serra Pau classificou-se em quinto lugar.

Serra Pau

Velho facão de ponta, ponta em brasa o fole sopra
Queima fere cicatriza, a ferida vai sarar
Gaiola em punho e o chuço, alçapão e emboscada
Ave em tempo de arribada entre as talas vai ficar
E um chapéu de couro, abas largas estrelado
No seu tempo de reinado pertenceu ao capitão – capitão
Caipora, capivara, bicho corre meia noite
Embalado pelo açoite, brisa leve é vendaval
Clarão do dia assusta, salta fora o maribondo
Quem lhe fez na casa um rombo, um calombo vai ganhar,
Transcorre a tarde e o alarde
De fumaça não viu fogo, quebra a banca vira o jogo
No cassino ao fim do sol...
Serra pau, serrador, serra cada qual madeira pro seu senhor
Serra cada qual
Quem quiser brincar de gente, tem que ser mais que doutor
Tem que ser mais que indigente, criatura e criador
Tem que ser indiferente, resistente, sonhador
Tem que ser mais que demente, pra que ature tanta dor
Serra pau, serrador, cada qual é o senhor.
Na igreja o padre reza, sacristão lhe toma o vinho
Os pecados do caminho, penitências vão pagar
Rosário conta a conta, padre nosso Ave Maria
Credo em cruz pra heresia, mês de maio é de oração
E num terreiro ao lado, pai de santo é pai de gente
Cada crença com seu crente, cada deus com seu altar.

Nenhum comentário:

NOVIDADES CONHECIDAS - LARA MELO